Shavasana, postura do morto

shavasana

No final das aulas de Yoga, em geral, os alunos entram na postura de relaxamento, Shavasana, em sânscrito, postura do morto (shah-VAHS-anna, sava = cadáver / morto, asansa = postura). Você já parou para se perguntar o por quê dessa postura tão confortável e que traz tanta paz receber esse nome? Na maior parte das vezes, os alunos iniciantes se assustam quando o instrutor fala a tradução da palavra Shavasana. De onde será que vem essa nossa relação esquisita com a morte? Segundo a filosofia védica, somos almas (atman) únicas que fazem parte de um todo, o Universo. Nossa alma é imortal e transcende espaço e tempo. Cada um está em um estágio de evolução diferente para superar os Karmas de outras vidas e a morte do corpo material nada mais é que o fim de um ciclo e o retorno da alma para a Uno, para a casa. É diferente do conceito de reencarnação de algumas religiões porque, segundo a filosofia védica, a alma não reencarna várias vezes em corpos diferentes. Quando a alma atinge a libertação ela é novamente absorvida pela substância primordial e isso é maravilhoso, afinal, estamos voltando a constituir integralmente o Universo e finalmente alcançando a comunhão com o todo.

Esse processo, no entanto, é lento. Para que possamos alcançar essa unidade e para que o processo não nos cause dor e seja válido, precisamos ir nos desprendendo aos poucos do mundo material. Precisamos deixar fluir e ir embora, sentimentos ruins, apegos à elementos do mundo material (dinheiro, bens de consumo, etc), luxúria, ganância… A interiorização e o auto-conhecimento são processos muito importantes para quem almeja se tornar um yogui e seguir o caminho. Então, não tenhamos medo da morte, ela é benéfica para a alma!

Por Ana Carolina Clemente

Image from: yogamangala.blogspot.com

 


Post Your Thoughts