O Kama Sutra

Em sânscrito, “kâma” significa “desejo”, “prazer em geral”, “sensualidade” e “sutra” é uma forma de escrita, um discurso que é feito por aforismos, assim como o Yoga Sutra, de Patanjali, também foi escrito.

Muitas pessoas confundem o Kama Sutra, obra indiana de autoria de Vatsyayana, com um manual do sexo, quando, na realidade, ele é quase o oposto.  Vatsyayana foi um filósofo indiano que viveu entre os séculos IV e VI antes de Cristo e praticante do celibato. O texto foi escrito originalmente como Vatsyayana Kamasutram (“Aforismos sobre o Amor”, de Vatsyayana).

Embora conduzam ao prazer, os ensinamentos do Kama Sutra, visam, em primeiro lugar à elevação espiritual do homem. Kama é um dos três sustentáculos da religião hindu. Os outros são Dharma e Artha. Dharma é o mérito religioso e Artha a aquisição de riquezas e bens.

Os hindus acreditavam que aquele que praticar Dharma, Artha e Kama, sem se tornar escravo das paixões, conseguirá êxito em todos os seus empreendimentos. Em outras palavras, deve-se desfrutar as riquezas e os prazeres sexuais sem jamais perder a virtude religiosa.

O Kama Sutra trata-se, na realidade, de um ritual, uma adoração, que é tão sagrado quanto um culto em um templo, incluindo o uso de velas, óleos, comidas afrodisíacas, perfumes e música.

Embora seja uma obra direcionada para os homens da nobreza indiana, podemos encontrar diversas instruções para a excitação da mulher pelo parceiro, incluindo a importância do homem fazer a mulher atingir o orgasmo, seja pelo ato sexual em si ou através de carícias.

A obra é ilustrada por 64 posições que podem ser praticadas durante o ato sexual, envolvendo todos os sentidos: olfato, paladar, audição, tato, além da mente e da alma. Portanto, o objetivo do Kama Sutra é tornar o ato do amor, uma experiência magnífica e espiritual.

Então, vamos conhecer essa obra e quebrar mais alguns padrões de preconceito?

 

Paz e bem!

Por Ana Carolina Clemente

 

yoga-amor


Post Your Thoughts