Conexão com o abrigo supremo

unsplash_528b27288f41f_1-1

Às vezes se da o péssimo argumento de que pensamos que Deus existe apenas porque necessitamos pensar assim, para que possamos dormir bem à noite. Porque sentimos sede isso não significa que criamos a água. Se alguém disser ” A água não existe, mas, porque sentimos sede, imaginamos que tal coisa exista e que a estamos bebendo “, essa seria uma explicação muito ruim.

 

Todas as nossas necessidades, sejam fisiológicas ou sociais ( ter companhias, por exemplo), são sinais que foram colocados em nós pela natureza para nos alertar ao fato de que existe algo real no mundo que devemos ir buscar. Fome, sede, companheirismo e etc. : as necessidades nos alertam para as coisas reais no mundo que temos que buscar para nós mesmos. Então, se sentimos necessidade de Deus, por que isso não foi um sinal colocado em nós pela Natureza, ou como queiramos chamar, para nos atentar ao fato de que existe algo real, Deus, que temos que encontrar ? O argumento de que ” as pessoas inventam Deus porque sentem necessidade Dele” parece carecer de situações análogas para sua validação. Por que deveríamos pensar dessa forma ? Poderíamos facilmente a argumenta que a nossa necessidade de Deus tende a indicar que Ele existe.

Por que não poderíamos argumentar desta maneira ? Estes argumentos falsos e defeituosos estão pairando no ar pelos últimos 100 anos. ” As pessoas sentem necessidade de Deus, logo inventam esta ideia”, ou “a religião é uma muleta” – como se o ateísmo não fosse uma muleta para as mentes vaidosas do mundo.
* Conclui-se então que se estamos desconectados com a fonte da existência, mas, sentimos necessidade de nos conectar, isso é um indicador da existência real deste Sreya uttama yoga, nosso verdadeiro lar.

Do livro Razão e Divindade
Por : Hridayananda Dasa Gosvami ( Howard J. Rensnick, Ph. D.)
Colaborador em acréscimo e comentários a partir do asterisco : Hari Darshana Dasa


Post Your Thoughts